Você já parou alguns minutos para reparar, sobre quais assuntos você vem compartilhando nas suas redes sociais? Será que esta pessoa que você mostra para o mundo, é realmente a pessoa que te define?

PENSE EM TRÊS CARACTERÍSTICAS QUE AS PESSOAS TE DEFINIRIAM

Falo isto pois eu mesmo criei meu pior vilão, apesar de sempre levantar a cultura de escrever assuntos mais profundos aqui no blog, criar vídeos introspectivos no canal, sempre a maior parte do conteúdo que eu desenvolvi foi sobre algo superficial e físico.

Quem me conhece vai entender um pouco do que estou falando, não foi somente vez em que fui para uma reunião de trabalho ou amigos, onde a pessoa tinha uma impressão MUITO RAZA de quem eu era. Esta é uma crença limitante que eu criei e assumo que eu gostava que existisse, colocava ela como um diferencial na conquista, já que o fator de surpreender a pessoa durante a conversa era um ponto crucial para que eu mostrasse meu trabalho ou o outro lado pouco divulgado da minha vida.

Um exemplo para ilustrar isto que lhe falo é o fato de mais de 90% do conteúdo que alimentava no Instagram ser relacionado ao culto ao corpo e aparência e somente as vezes dar umas pílulas de motivação e planejamento pessoal para meus seguidores.

Talvez fazia isso com a intenção de dar aquilo que a plataforma aceitava, já que uma rede social onde as pessoas só veem as fotos em segundos e mal liam as legendas. Mas sempre me impressionei com a quantidade de pessoas que fugiam a regra e liam minhas legendas gigantescas que tinham potencial de serem os textos aqui para o Blog, que por muito tempo deixei de lado com a crença de que não tenho tempo de fazer tudo ao mesmo tempo.


AONDE QUERO CHEGAR COM ISTO?

A pergunta correta é “QUAL CAMINHO QUE EU QUERO PARA NÓS?”. Falo isto porque chegou um momento na vida onde eu me via como uma pessoas que cobrava dos outros uma melhora interna, uma evolução espiritual e mudança de hábitos, mas ao mesmo tempo eu passava somente a mensagem da melhora FÍSICA e o culto ao corpo.

Reparei que eu fui um dos responsáveis por muitos anos de algo que me vi lutando contra. Por este motivo, quando reparo que estou fazendo algo que não é o me faz feliz, a melhor coisa que se tem a fazer é PARAR DE FAZER O QUE SE ESTÁ FAZENDO.

Neste momento já estou a quase 2 semanas em um retiro da mídias sociais, buscando pensar e me reposicionar de maneira em que eu realmente me sinta feliz no que estou fazendo. Me policiando para voltar a produzir conteúdo na rede, mas de maneira que mostre todo o potencial que tenho para passar para as outras pessoas e que não fique somente no campo da aparência.

Ter resiliência na espera dos resultados dos treinos, dedicação no empenho de manter a rotina regrada, o poder das escolhas e controlar o livre arbítrio. Todos estes pontos são relacionados ao corpo, mas não somente a aparência e sim toda a evolução que a pessoa pode ter no interno e na mente, mesmo sendo o gatilho para a ação à busca pela melhora física.

Então ainda sou a pessoa que fala do corpo, ainda sou a pessoa que gosta de olhar no espelho e ver que estou em forma e tenho condições de encarar treinos extremos, mas cada dia mais quero mostrar para as pessoas que não sou somente isto. Esta é somente a ponta do Iceberg e chegou a hora de mergulhar na profundidade do meu ser, este é um convite para ver mais sobre o Leopoldo, talvez seja um convite para você também se aprofundar também.

PRENDA A RESPIRAÇÃO, O MERGULHO VAI SER DEMORADO.